Pedágios em estradas estaduais de SP retiram cancela de cobrança eletrônica

Passou a valer nesta terça-feira, 19, uma lei estadual que determina a retirada das cancelas das faixas de pagamento eletrônico de praças de pedágio nas rodovias estaduais de São Paulo.

A justificativa para implementação da lei, de autoria do deputado Edmir Chedid (DEM), foi a de que a medida aumenta a segurança do motorista. Ao parar o veículo na cancela de pagamento eletrônico, haveria o risco de colisões e engavetamento.

Somente usuários com tags ativos, instalados conforme orientação da respectiva operadora e com saldo, devem se dirigir à pista de pagamento eletrônico. Os motoristas que passam sem crédito ou sem tag estarão cometendo evasão de pedágio, infração de trânsito prevista no Artigo 209 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). A multa, nestes casos, é de R$ 195,23 e cinco pontos na carteira de habilitação.

Segundo a Artesp, de janeiro a maio de 2017 houve o registro de 1.197.415 de evasões nas rodovias paulistas. Em 2018, também de janeiro a maio, houve 627.897 evasões, o que representa uma queda de 47% no número em comparação no mesmo período.

A Ecovias, concessionária que administra o Sistema Anchieta-Imigrantes (SAI), informou que retirou na noite desta terça-feira, 19, as cancelas das pistas automáticas de cobrança de pedágio. Segundo a nota, o horário foi escolhido em razão do menor volume de tráfego.

De acordo com o grupo CCR, as rodovias supervisionadas pela Artesp, que são: CCR AutoBan (Anhanguera e Bandeirantes), CCR Viaoeste (Castelo Branco e Raposo Tavares), CCR Rodoanel (trecho Oeste) e CCR SPVias (Trecho da Anhanguera próximo a Tatuí) estão com 100% das cancelas eletrônicas retiradas de acordo com a legislação vigente.

Foto: Marcos Santos/Jornal da USP