Moradores e passageiros reclamam da falta de iluminação da Rodoviária do Parque Cecap

Reportagem: Ulisses Carvalho

[email protected]

Imagine você passageiro ao desembarcar durante a noite na estação Guarulhos-Cecap, da Linha-13 Jade da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), e ao sair da estação que dá acesso diretamente para a Rodoviária do Parque Cecap, se deparar com uma grande escuridão. Esse é o principal problema que moradores do bairro e passageiros que descem no local alegam sobre a situação.

Na semana passada, o HOJE questionou a CPTM sobre o problema, porém, por já estar fora da estação, a companhia informou em conversa telefônica que o problema da falta de iluminação é de responsabilidade da prefeitura. Em contato com a Socicam, empresa responsável pela administração da rodoviária, informou em nota que os locais mencionados estão em área pública e que não fazem parte do empreendimento ‘Terminal Rodoviário e Turístico de Guarulhos’.

Os locais de acordo com os moradores, que estão com falta de iluminação são desde a parte da entrada/saída da estação Guarulhos-Cecap e também na saída dos ônibus municipais e intermunicipais da rodoviária, parte que também tem uma rotatória ao lado de fora e que segue na escuridão.

Após a reportagem falar com a prefeitura na quarta-feira (21), as luzes na saída da estação estavam funcionando, porém, nos dias seguintes, a falta de iluminação voltou ao local. Em nota, a administração municipal informou que irá realizar uma vistoria no local e que a iluminação na estação da Linha- 13 é de responsabilidade da CPTM.

“A Secretaria de Transportes e Mobilidade Urbana (STMU) informa que a estação ferroviária Guarulhos-Cecap pertence à Linha 13 Jade da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), sendo de responsabilidade do governo estadual, inclusive a iluminação. No que diz respeito às ruas ao entorno da rodoviária, o Departamento de Iluminação Pública da Prefeitura informa que fará uma vistoria para verificar os problemas relatados e saná-los o mais rapidamente possível”, informou a STMU.

Para os moradores do bairro, a situação está muito perigosa. “Mesmo morando ao lado da rodoviária, eu busco minha irmã de carro da estação. Está muito escuro, já reclamamos inclusive para vereadores, mas a sensação é de abandono e a rodoviária é deserta”, afirmou em entrevista a assistente administrativa Vilma Muniz, 57.

Foto: Divulgação