Daee analisa possíveis causas da erosão em rio que coloca em risco a avenida Natália Zarif

Reportagem: Ulisses Carvalho

[email protected]

O Departamento de Águas e Energia Elétrica (Daee) informou ao HOJE, através de contato telefônico, de que está analisando as possíveis causas do problema que está fazendo parte da avenida Natália Zarif, localizada na região do Taboão, começar a ceder. O trecho fica próximo ao Terminal Metropolitano do Taboão.

O Daee tinha informado a reportagem de que iria verificar o trecho na semana passada, porém, a vistoria ocorreu apenas na manhã de segunda-feira (02), de acordo com a empresa. O departamento informou também de que os técnicos estão analisando o que provocou a queda, para verificar quem será o responsável pela execução da obra.

O trecho que está cedendo devido às margens do Rio Baquirivu-Guaçu, e fica próximo a parada de ônibus intermunicipal Albert Leimer e a Transportadora Pituta. De acordo com a administração municipal, o local está sinalizado há dois meses, porém, a prefeitura também esclareceu que não tem o gerenciamento do Rio Baquirivu-Guaçu, pois necessita de outorgas estaduais.

A parte que está sinalizada conta com nove cones, porém, alguns estão abandonados na via e até amassados devido a passagem dos veículos. Motoristas de ônibus que trafegam diariamente pela via, reclamaram a reportagem de que ao risco de ceder parte da via e as ondulações na pista, o congestionamento na avenida aumentou principalmente no horário de pico na parte da manhã.

Foto: Ivanildo Porto