Número de atendimentos por picadas de escorpião apresenta queda de 46%

O número de atendimentos realizados por picadas de escorpião nas unidades municipais de saúde apresentou queda de 46% nos últimos 12 meses, segundo dados divulgados pela Secretaria de Saúde. Ainda assim, moradores de bairros como Vila Galvão e Parque Renato Maia relatam o crescimento da população deste animal nestas regiões.

Segundo dados obtidos pelo HOJE junto à prefeitura, no período entre janeiro e fevereiro do ano anterior foram registrados 24 atendimentos médicos relacionados ao contato de pessoas com o escorpião. Em contrapartida, no mesmo período deste ano esse número caiu para 13. Ou seja, redução de 46%.

Os bairros com maior infestação deste animal são: Parque Continental I, II, III, Jardim Santa Inês, Jardim Palmira, Ponte Alta, Jardim Santa Paula, Cumbica, Jardim Santo Afonso, Taboão e Jardim Paraíso.

A prefeitura, através da Divisão Técnica do Centro de Controle de Zoonoses, ressaltou que realiza ações de educação e mobilização social com foco nas medidas de controle e prevenção de acidentes com escorpiões, conforme as normas técnicas preconizadas pela Superintendência de Controle de Endemias (SUCEN). Além disso, também são realizadas inspeções técnicas e procedimentos de busca ativa de espécimes, incluindo a catação, quando necessária. O governo guarulhense também destaca que todas as unidades de saúde conhecem  o fluxo de atendimento. Além disso,  está  prevista  capacitação  para médicos  e enfermeiros  dos serviços  de saúde  do município. O soro escorpiônico,  cuja indicação  é  para os casos  moderados  e graves, fica armazenado no Hospital Municipal de Urgência e, se necessário,  disponibilizado  ao Hospital Municipal da Criança e Adolescente para o uso em crianças.