Exclusão do GP do Brasil leva prefeitura a cancelar licitação de R$ 48 milhões

SAO PAULO, BRAZIL - NOVEMBER 11: Daniel Ricciardo of Australia driving the (3) Aston Martin Red Bull Racing RB14 TAG Heuer overtakes Marcus Ericsson of Sweden driving the (9) Alfa Romeo Sauber F1 Team C37 Ferrari on track during the Formula One Grand Prix of Brazil at Autodromo Jose Carlos Pace on November 11, 2018 in Sao Paulo, Brazil. (Photo by Clive Mason/Getty Images)

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), revelou nesta sexta-feira que determinou o cancelamento de uma licitação no valor de R$ 48 milhões para reformas no autódromo de Interlagos. Durante entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, Covas disse que tomou a decisão depois da Fórmula 1 ter anunciado nesta sexta-feira que o GP do Brasil não será realizado neste ano como prevenção ao novo coronavírus.

“Já determinei o cancelamento da licitação que estava em andamento no valor de R$ 48 milhões para a reforma da pista. Não tem mais como segurar isso. Já determinei o cancelamento porque não vamos gastar R$ 48 milhões com o risco de não ter Fórmula 1 em São Paulo”, disse Covas na entrevista coletiva. O prefeito não mencionou mais detalhes sobre a licitação cancelada e lamentou o cancelamento.

Apesar de ter mencionado o “risco de ter não ter Fórmula 1 em São Paulo”, Covas afirmou que a cidade continua em contato com a categoria para conseguir realizar a prova no próximo ano. O contrato atual termina em 2020 e para se manter no calendário, a capital paulista precisa de uma renovação. “Nós continuamos a conversa para a prorrogação do contrato”, afirmou.

Presente à mesma entrevista coletiva, o governador de São Paulo, João Doria, não comentou sobre o cancelamento do GP do Brasil de Fórmula 1. Há duas semanas, porém, ele havia garantido que o evento estava mantido e não corria riscos por causa da pandemia. “Com relação a este ano, o contrato tem de ser cumprido. É preciso deixar isso claro de parte à parte”, comentou no dia 10 deste mês.

A informação sobre a exclusão do Brasil do calendário da Fórmula 1 foi antecipada pelo Estadão no dia 8 de julho. É a primeira vez desde 1973 que o País não receberá uma prova da categoria. Embora Covas afirme que a cidade continua em contato com a Fórmula 1, o Estadão revelou em 30 de junho que o Rio de Janeiro tem contrato encaminhado para receber a prova em 2021.