Prefeitura faz megaoperação na Tapajós; 10 bares foram autuados e tiverem que encerrar suas atividades

Agentes da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (SDU) de Guarulhos estiveram na rua Tapajós, na região central, na noite desta terça-feira (19) com o objetivo de fiscalizar bares e restaurantes. Por volta das 22h, dez estabelecimentos foram autuados e tiveram de encerrar suas atividades naquele momento. A ação contou com o apoio da Guarda Civil Municipal (GCM) e da Polícia Militar.

As autuações aconteceram por conta do desrespeito às determinações de horário estabelecidas na fase amarela do Plano São Paulo, classificação atual de Guarulhos, além de gerarem aglomerações e não respeitarem as orientações de segurança, como uso de máscara pelos clientes que não estiverem consumindo alimentos ou bebidas. Em um dos estabelecimentos estava acontecendo um show com música ao vivo.

O secretário de Desenvolvimento Urbano, Bruno Gersósimo, vem enfatizando com frequência a necessidade de atendimento às normas que o momento exige. “Não podemos baixar a guarda na prevenção. A lotação dos leitos de UTI chegou a 86%. Frequentar aglomerações e não se proteger adequadamente neste momento é um enorme desrespeito com as pessoas que estão à sua volta e com as que estão sofrendo com o coronavírus”, disse.

Os locais vinham sendo denunciados pela população constantemente, tanto pelos telefones diretos da SDU quanto pelas redes sociais oficias da Prefeitura de Guarulhos, que recebem constantemente publicações desses espaços. O Departamento de Fiscalização também estava monitorando a divulgação dos eventos.

Denúncias

De acordo com as determinações atuais da fase amarela do Plano São Paulo, na qual Guarulhos está inserida, todas as atividades podem funcionar com capacidade limitada a 40% de ocupação, no máximo dez horas por dia, sendo o limite de atendimento presencial até as 22h. Bares podem atender de forma presencial somente até as 20h.

Qualquer estabelecimento que não esteja cumprindo as determinações de segurança e higienização pode ser denunciado pelos números 153 ou 2453-6700 / 6701 / 6705.