Polícia Federal apreende droga dentro de adega para vinhos no Aeroporto de Guarulhos

Da Redação
[email protected]

A Polícia Federal (PF) prendeu em ação conjunta com a Receita Federal, três passageiros que embarcariam em voo para a África, transportando droga em suas bagagens, no Aeroporto Internacional de Guarulhos. Policiais abordaram uma passageira na fila do check-in de voo para a Etiópia e, após uma breve entrevista, submeteram sua bagagem ao raio-x, onde identificaram a existência de substância orgânica no interior de sua mala.

A passageira foi conduzida à sede policial para realização de perícia. Na mala da mulher havia 12 latas de pêssegos em calda contendo mais de 8 Kg de cocaína. Um volume despachado por passageiro, que seguiria no mesmo voo da suspeita presa, cujos indícios indicavam que viajariam juntos, foi identificado, por meio das imagens de raio-x, contendo substância suspeita em suas estruturas.

O homem foi localizado e conduzido à PF para acompanhar os exames periciais. Ao desembalar o volume, foi verificado que se tratava de uma adega para vinhos que, após ser desmontada, revelou um fundo falso contendo mais de 2 Kg de cocaína. Os suspeitos, ambos brasileiros, receberam voz de prisão.

Em uma segunda ação, realizada pela equipe de servidores do Canil da Receita Federal, uma mala, com conteúdo suspeito, foi separada nas esteiras de bagagens despachadas para voo com destino à Etiópia. Seu proprietário, um homem de 20 anos de idade, nacional da Ucrânia, foi localizado próximo aos portões de embarque e conduzido para fazer o reconhecimento de sua bagagem e acompanhar a abertura da mala na presença de testemunhas.

Em um fundo falso de uma mochila foram encontrados envelopes com substância orgânica na forma de pó branco. O passageiro foi conduzido à PF para realização de perícia nos mais de 5 Kg de material encontrado. Os exames periciais testaram positivo para cocaína e o suspeito foi preso. Os presos foram apresentados à Justiça Federal onde responderão pelo crime de tráfico internacional de drogas.