Apresentação de corais encerra o Setembro Amarelo no Hospital Pimentas

O Hospital Municipal Pimentas Bonsucesso (HMPB), em Guarulhos, administrado pelo IDGT, encerrou as atividades da campanha Setembro Amarelo na quarta-feira (15), com apresentações de dois corais: Cogic – Resgate para a vida, da Igreja de Deus em Cristo; e coral do próprio HMPB. As exibições começaram na entrada do ambulatório e passaram por diversos setores do hospital.

“Foi a primeira vez que o coral cantou fora da igreja e foi uma experiência ótima. O fato de alguns membros do coral terem ligações com hospitais facilitou para que não sentíssemos tanto. Tudo ocorreu bem”, disse o regente Daniel Vital.

Durante toda semana foram realizadas ações com os profissionais da unidade, alusivas ao tema da campanha, que reforçam o combate e a prevenção ao suicídio. Entre as atividades, estavam: rodas de conversa, palestras, peças teatrais, musicoterapia e troca de experiências, entre outras.

Carlos Machado, diretor administrativo do HMPB, salientou a relevância do Setembro Amarelo. “Finalizamos a campanha falando deste tema de extrema importância. O coral fechou com maestria. Estamos passando por uma pandemia e muitos trabalhadores adoeceram. Isso trouxe um impacto bem forte na rotina das pessoas, afetando o emocional. Ações deste tipo fortalecem muito o ânimo das pessoas. É muito bom poder dialogar. Precisamos discutir a saúde mental, observar o outro, dar suporte. Estamos dando o nosso melhor, com o apoio do IDGT e do Programa Afeto”, comentou.

De acordo com Carolina Bueno, psicóloga da unidade, a depressão é a segunda maior causa de afastamento do trabalho. “Muitos funcionários chagam para falar comigo com um nível de estresse alto, alguns tendo crises de pânico elevadas. Depressão é sim um dos principais motivos de afastamento”, explicou. Para melhorar o bem estar dos colaboradores e pacientes, rodas de conversas e atendimentos especializados são feitos diariamente no Pimentas.

“Foi um período complicado. Com a pandemia, alguns amigos e familiares morreram. Por essa razão, momentos como estes, onde podemos ver palestras, peças e ouvir a palavra de Deus são muito importantes. Nós que trabalhamos na área da saúde e lidamos com outras pessoas, muitas vezes sob estresse, precisamos desse apoio, dessa assistência emocional. Por isso fiz questão de participar dessa atividade”, disse Jacqueline de Lima, enfermeira no Hospital Pimentas.