Guarulhos realiza primeira reunião do programa Municípios Paulistas Resilientes

Foto: Divulgação/PMG

Guarulhos, uma das cidades selecionadas para participar do Programa Municípios Paulistas Resilientes, do governo estadual, realizou nesta sexta-feira (22), no auditório da Univeritas/UNG, no Centro, a primeira reunião do grupo de trabalho sobre o tema. Participaram representantes da OAB, do Instituto Cabuçu e da Secretaria de Meio Ambiente (Sema), bem como de outras pastas da Prefeitura.

O evento contou com palestra do coordenador da Ong Imaflora, Igor Albuquerque, que destacou os efeitos negativos das mudanças climáticas em todo o planeta e também a importância das iniciativas municipais, como ponto de partida até as esferas estadual e federal, Como exemplo desse tipo de ação, Albuquerque citou o banco de dados com informações sobre áreas vulneráveis de Guarulhos em relação à preservação do meio-ambiente desenvolvido pela Sema.

Na ocasião, Thiago Surfista, secretário de Meio Ambiente de Guarulhos, destacou a urgência na tomada de decisões para combater o aquecimento do planeta. “Ações para combater as mudanças climáticas são urgentes, uma vez que seus efeitos estão cada vez mais presentes, haja vista a crise hídrica que está afetando o Brasil”, afirmou.

Guarulhos foi uma das selecionadas para participar do programa por sua importância econômica na Região Metropolitana de São Paulo e por sua capacidade de resiliência, ou seja, por sua habilidade de combater os efeitos das mudanças climáticas. O termo de adesão foi assinado em 5 de abril de 2021.

Também foram selecionados outros 12 municípios, mais a Baixada Santista, são eles: Americana, Apiaí, Embu da Artes, Francisco Morato, Gabriel Monteiro, Guaratinguetá, Iguape, Jales, Registro, Rosana, São José do Rio Preto, Ubatuba,

Criado pela Secretaria de Estado de Infraestrutura e Meio Ambiente (SIMA), em parceria com a Agência Alemã de Cooperação Internacional (GIZ), o programa Munícipios Paulistas Resilientes visa facilitar a identificação das vulnerabilidades relacionadas às mudanças climáticas. As cidades escolhidas para participar devem elaborar “Planos Municipais e Regionais de Adaptação e Resiliência à Mudança do Clima”.