Com maioria dos vereadores favorável ao fechamento, relatório da CEE da Proguaru é aprovado

Os vereadores da Câmara de Guarulhos votaram, nesta quarta-feira (27), durantes sessão extraordinária o Relatório Final da Comissão Especial de Estudos, presidida por Edmilson (PSOL), que levantou dados sobre a situação financeira, orçamentária e administrativa da Progresso e Desenvolvimento Guarulhos S/A (Proguaru). 

Edmilson (PSOL) abriu o debate sobre o relatório. “Apesar de manobras do Executivo, finalmente votamos este documento, cuja relatoria ficou a cargo do vereador André Alves, que apenas fez um resumo das reuniões que tivemos nas Comissão Especial de Estudos, sem levantamentos, sem embasamento mais sério e que se espelha num relatório feito pela Fipe, contratada pela própria Prefeitura por R$ 2 milhões”, afirmou Edmilson, presidente da comissão. “Voto contra este relatório, que traz de forma rápida que a empresa não tem perspectiva e que deve fechar no final de 2022”, acrescentou Edmilson. 

Dr. Laércio Sandes (DEM) lembrou que em 2020 votou contra o fim da Proguaru. “Ela é vitima há vários governos, sempre usada e muito mal planejada; é fácil apresentar um relatório alternativo dizendo que a empresa não é viável, faltou gestão, o prefeito Guti inchou a empresa de cargos comissionados, seu projeto foi de poder ao grupo político que o elegeu, e a terceirização não vai ser vantajosa, trará prejuízos à cidade”, criticou. 

Janete Rocha Pietá (PT) também criticou o Executivo. “Estamos às vésperas do Dia do Servidor Público e gostaria de homenagear a resistência dos trabalhadores da Proguaru, vítimas da mentira de um prefeito que disse que não extinguiria a empresa”, afirmou. O também petista Professor Rômulo Ornelas criticou a base do governo municipal. “Queria ouvir a opinião dos vereadores da base do prefeito, o que pensam sobre isso tudo, parece que receberam ordens para ficarem calados”, lamentou.  

Jorginho Mota (Agir) disse que os vereadores da oposição estão querendo mexer com o emocional da população, fazendo “politicagem”: “Olha o passado, a situação de hoje é devida ao que o governo anterior deixou, nada foi criado agora”.  

O presidente Martello (PDT) também defendeu o voto contrário ao relatório. “É hora de votar em favor das 4.700 famílias que precisam de seus empregos”, indicou. “A Proguaru precisa de gestão, de boa administração, ser renovada, ela é útil, Guti vai se arrepender de fechá-la.” O chefe do Legislativo foi além: “Não vejo a sensibilidade de vereadores, dar uma sinalização a essas famílias; não é questão de fazer política, tenho muitos amigos na Proguaru, pessoas que estão lá há muitos anos e que precisam trabalhar; neste país só tem direito quem é bacana, voto contra o relatório de André Alves e indico que votem contra também”!  

Ao fim da votação, o relatório foi aprovado: 24 votos favoráveis e oito contrários, com dois vereadores ausentes. Segundo Martello, o documento agora será encaminhado à Prefeitura, ao Ministério Público Estadual em Guarulhos e ao Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE-SP) para conhecimento e providências cabíveis. Será em seguida arquivado. 

Imagem: Divulgação/Comunicação Proguaru