Conselho Municipal de Política Cultural tem inscrições abertas até terça-feira

Foto: Divulgação/PMG

Pessoas interessadas em participar como membros da sociedade civil para compor as nove cadeiras do Conselho Municipal de Política Cultural (CMPC) têm até a próxima terça-feira (23) para acessar o manual do candidato e preencher o formulário disponível no endereço https://abre.ai/candidatocmpc. É necessária ainda a inscrição prévia no evento da VII Conferência Municipal de Cultura no endereço https://abre.ai/viiconferencia.

Artes visuais, artes cênicas, audiovisual, associações não governamentais, cultura popular tradicional, literatura, hip-hop, música e patrimônio histórico são as cadeiras do CMPC, instância de participação que a sociedade tem para interlocução com o poder público.

A eleição de novos membros do CMPC acontece durante a VII Conferência Municipal de Cultura no dia 27 de novembro, das 8h às 20h, no Centro Municipal de Educação Adamastor. Nesta edição a conferência abordará o Plano Municipal de Cultura, além de dois subtemas: O Impacto da Pandemia na Gestão Cultural do Município e Cultura e Migração.

Conselho Municipal de Política Cultural

O CMPC é instituído pela lei 6.541/09. “Ele é parte integrante do Sistema Municipal de Cultura e compõe um tripé com o Plano Municipal de Cultura e o Fundo Municipal de Cultura de Guarulhos, órgãos importantes dentro do processo democrático de construção de políticas públicas para o município”, explica Professor Jesus, secretário de Cultura.

Trata-se de um órgão de caráter consultivo, deliberativo e normativo que, no âmbito da Prefeitura de Guarulhos, institucionaliza a relação entre a administração pública e os setores da sociedade civil vinculados à cultura.

“Sua função primordial é manter o elo entre o poder público e a sociedade civil, caracterizando-se como voz efetiva dos fazedores de cultura na interlocução com a pasta”, destaca Paulinho Trewasae, vice-presidente do Conselho Municipal de Políticas Culturais.

O Conselho é paritário, 50% indicados pelo poder público e 50% eleitos pela sociedade civil durante a Conferência de Cultura, sendo 18 titulares e 18 suplentes.