Vice-governador promete ajuda no enfrentamento à covid-19 ao Alto Tietê

Foto: Divulgação/Condemat

O vice-governador Rodrigo Garcia participou de reunião no fim da noite desta quarta-feira (26) com o presidente do Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) e prefeito de Guarulhos, Guti, e demais presidentes de consórcios intermunicipais da Região Metropolitana: Consórcio do Grande ABC; Cioeste – Consórcio Intermunicipal da Região Oeste Metropolitana; Conisud – Consórcio Intermunicipal da Região Sudoeste da Grande São Paulo e Cimbaju – Consórcio Intermunicipal dos Municípios da Bacia do Juqueri.

Durante a reunião, o vice-governador, acompanhado pelos secretários de Estado de Saúde, Jean Gorinchteyn; de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, e da Casa Civil, Cauê Macris, prometeu ajuda aos municípios no enfrentamento à pandemia.

Neste primeiro momento, a ajuda será na forma de abertura de leitos nos hospitais de gestão estadual. Conforme anúncio do Governo do Estado, na região da Grande São Paulo serão abertos 234 leitos de Enfermaria e 91 leitos de UTI. Destes, pelo menos 120 são para a região do Condemat, contemplando os hospitais Santa Marcelina (Itaquaquecetuba), Dr. Arnaldo Pezzuti (Mogi das Cruzes) e Luzia de Pinho Melo (Mogi das Cruzes).

Além disso, Garcia confirmou que o Estado fará o repasse de recursos fundo a fundo para os municípios implantarem novos leitos nas unidades municipais ou para a contratação de leitos junto à iniciativa privada.

“Foi mais uma reunião produtiva e esclarecedora onde o Governo do Estado confirmou o apoio aos municípios neste novo momento da pandemia que estamos vivenciando. O aumento da oferta de leitos dará um fôlego a mais para enfrentarmos esta alta nos números da pandemia”, destacou o presidente do condemat, Guti.

De acordo com o vice-governador, tanto os leitos estaduais quanto os leitos municipais com o custeio parcial do Estado serão abertos no prazo de 10 dias.

“Em todo o Estado serão abertos 700 novos leitos que vão suprir este aumento na demanda. Mesmo os municípios que não foram atendidos com a abertura dos leitos estaduais, podem solicitar o cofinanciamento do Estado nos leitos municipais e nós atenderemos de forma emergencial para garantir assistência à população”, disse.

O secretário de Estado de Saúde reforçou o apoio aos municípios, porém destacou que apesar da alta nos números de internações, a rotatividade de leitos está maior do que observado na primeira e segunda onda.

“Na segunda onda nós chegamos a ter uma média de 15 dias de internação em UTI e hoje está média está em 7 dias, o que mostra que temos uma maior rotatividade de leitos”, disse.

A edição de um novo decreto estadual declarando situação de calamidade pública também foi solicitada pelos presidentes dos consórcios. O vice-governador orientou que cada cidade faça o seu decreto e encaminhe para a Assembleia Legislativa, onde o condemat está intercedendo para aprovação.

Participaram da reunião o presidente do Cioste e prefeito de Osasco, Rogério Lins; o presidente do Grande ABC, Paulo Serra, prefeito de Santo André; o presidente do Cimbaju e prefeito de Cajamar, Danilo Joan e a secretária executiva do Conisud, Brígida Sacramento. Juntos, os consórcios abrangem 45 municípios.

- PUBLICIDADE -