Coluna 35

Pra lamentar

O lamentável episódio envolvendo o deputado estadual, Arthur do Val, também conhecido pela alcunha de “mamãe falei”, que teve um áudio de Whatzapp vazado, onde dava conta de seu espanto com a beleza das mulheres ucranianas e de como elas seriam “fáceis, por serem pobres”, chegou à Câmara de Guarulhos. As sete vereadoras da Casa aprovaram Moção de Repúdio que será encaminhada às presidências da Assembleia Legislativa e do Podemos, partido do qual o parlamentar já pediu desfiliação. Entretanto, a fala mais marcante foi a do vereador Lamé Smeili, que invocou sua condição de refugiado de guerra quando, aos nove anos, veio para o Brasil com problemas auditivos oriundos das bombas.

Reeleição

A possibilidade de reeleição do atual presidente da Câmara, vereador Fausto Miguel Martello (PDT), deu origem a um bafafá de rede social. Os grupos antagônicos que disputam a cadeira presidencial, estão divergindo sobre divulgação de decisões aleatórias que discutem o caso, já pacificado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), segundo a banca de advogados que orienta Martello. Esta Coluna apurou que será pouco provável a retirada de Miguel Martello de sua intenção. Vamos aguardar, pois decisões judiciais, no Brasil, andam meio pela hora do “que tem pra hoje?”. 

Guerra de narrativas

O dito popular: “pau que dá em Chico dá em Francisco” tem sido a tônica da antecipação das eleições de 2024. E pra que isso fique cada vez mais grave, dia sim outro também, surgem denúncias e pedidos diversos sendo formalizados, tanto na Câmara como no Judiciário, desenhando que será espinhosa a vida política dos envolvidos, nos próximos dois anos e meio que ainda faltam para a escolha do substituto de Gustavo Henric Costa, o Guti. Não está fácil pra nenhum dos lados e a cooptação de profissionais para essa guerra de narrativas e ações, vem crescendo.

Enfim, presencial

Desde a inauguração desastrosa da nova sede da Câmara de Guarulhos, realizada em dezembro de 2020, pelo então presidente Jesus Roque de Freitas, hoje vice-prefeito, finalmente, a Casa Legislativa guarulhense deu início às sessões presenciais. Com isso, muito provável que os encaminhamentos e votações tomem rumos bastante diferentes daqueles que ocorriam nas sessões remotas. Embora a pandemia tenha sido justificativa para esse atraso de 15 meses, certo é que o plenário só ficou pronto nesta semana.

- PUBLICIDADE -