Neste mês, chamado Janeiro Branco, a Cultura da Paz norteará as ações de promoção da saúde nos serviços municipais nesta área e principalmente nas Unidades Básicas de Saúde (UBS), que estão empenhadas em abordar temas com o objetivo de prevenir situações que possam ameaçar a paz e a segurança. A programação conta com caminhadas, exibição de vídeos educativos, oficinas e rodas de conversa durante todo o mês. A abertura será realizada na sexta-feira (11), das 8 às 12h, no Parque Fracalanza, com práticas corporais e culturais destinadas aos Agentes Comunitários de Saúde e aos frequentadores do parque, localizado na rua Joaquim Miranda, 471, na Vila Augusta.

O Dia D deste mês será em 18 de janeiro, quando as ações de promoção da saúde e prevenção de doenças serão intensificadas por meio de atividades internas ou extramuros, realizadas em diferentes espaços, como escolas, universidades, clubes, parques, associação de moradores, centros comunitários, igrejas, empresas, academias, bem como ONGs e CRAS (Centro de Referência da Assistência Social).

O tema do mês faz parte da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, que contém 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), conjunto criado por líderes mundiais em 2015 para erradicar a pobreza, proteger o planeta e garantir que as pessoas alcancem paz e prosperidade. O ODS 16 é sobre “Paz, Justiça e Instituições Eficazes”, o qual objetiva promover sociedades pacíficas e inclusivas para o desenvolvimento sustentável, proporcionar o acesso à justiça para todos e construir instituições eficazes, responsáveis e inclusivas em todos os níveis.

Magda Oliveira, divisão técnica da Rede de Urgência e Emergência da Secretaria de Saúde, que coordena a ação deste mês, chama a atenção para os seis pontos abordados no Manifesto 2000 por uma Cultura de Paz e Não-Violência, que são: respeitar a vida, rejeitar a violência, ser generoso, ouvir para compreender, preservar o planeta e redescobrir a solidariedade. “Queremos aproveitar o início do ano, que é quando as pessoas fazem um balanço da vida, para lembrá-las de que estas são atitudes que todos podemos tomar individualmente. Como diz no Manifesto, todos nós podemos nos tornar um mensageiro da tolerância, solidariedade e do diálogo, independente do ambiente, e 2019 precisa mais do que nunca de ações como estas”, ressaltou.

Sobre a Cultura da Paz

Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), a Cultura da Paz é um conjunto de valores, atitudes, modos de comportamento e de vida que rejeitam a violência, e que apostam no diálogo e na negociação para prevenir e solucionar conflitos, agindo sobre suas causas. A qual se faz ainda mais necessária, diante do recorde histórico do número de homicídios registrados no Brasil em 2017. Foram 63.880 mortes violentas, 175 pessoas assassinadas por dia, sete por hora. Um aumento de 2,9% em relação a 2016. Além do aumento de 8,4% dos casos de estupro, de acordo com dados da ONG Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here