Em 2018, Guarulhos apresentou um estoque de 3.802 vínculos com carteira assinada. Neste período, as movimentações alcançaram 105.777 demissões e 109.579 admissões, mostrando que as contratações superaram o número de demissões no município. É o maior saldo desde 2014, em que o número de geração de empregos foi de 5.398, já que em 2015, Guarulhos perdeu cerca de 21.315 vínculos formais e nos anos seguintes não conseguiu recuperar um saldo positivo. O balanço foi divulgado nesta quarta-feira (13) pela Secretaria Municipal do Trabalho, por meio da 13ª edição do Relatório Conjuntural do Mercado de Trabalho.

Os números contemplam tanto homens quanto para mulheres, com 2.116 e 1.312 vagas respectivamente. Para os jovens aprendizes, a evolução foi de 201 para aqueles de sexo masculino e de 173 para aquelas de sexo feminino. Além disso, os dados mostram que no período analisado, seguindo a classificação de setores do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o setor de serviços destacou-se com o saldo positivo de 4.311 vínculos formais e o comércio teve um incremento de 967 contratações formais. Estes dados apresentam os números de movimentação, ou seja, a média de admitidos e demitidos nos doze meses do ano.

Já para os jovens aprendizes, em 2018, foi verificado que 3.286 novas pessoas foram admitidas por meio do programa, sendo o setor de serviços o que apresentou maior número de contratações, com 1.490.

O documento também apresenta os números de contratações por faixa etária, média de horas semanais, movimentações por escolaridade, dados completos sobre o programa Jovem Aprendiz, entre outros.

O Relatório Conjuntural do Mercado de Trabalho é constituído com base nos dados fornecidos pelo Ministério do Trabalho e tem como objetivo oferecer indicadores próximos à realidade a fim de subsidiar políticas públicas de geração de emprego e renda por meio da análise de dados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here