Número de trotes no Samu de Guarulhos apresenta redução de 34% em janeiro

Assunto:SAMU Central de Regulação Local:Itapegica Data:10.11.2015 Foto:Sidnei Barros/PMG

Antônio Boaventura

[email protected]

O número de ligações recebidas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) classificadas como trote apresentou, em Guarulhos, uma redução de 34% no mês de janeiro em comparação com o mesmo período do ano passado. Em 2018, de acordo com a prefeitura, foram registradas 994 ocorrências falsas contra 650 nos primeiros 30 dias deste ano. 

Segundo a administração municipal, os comunicados falsos de ocorrência recebidos pela Central 192 ocorrem em qualquer dia da semana, entre 12h e 18h. Como forma de prevenção o Samu Guarulhos conta com aparelho telefônico detector de chamadas (Bina) e alguns números já estão na lista de números que realizaram chamados falsos.

Porém, muitas vezes, na dúvida, a equipe abre o chamado e desloca uma viatura até o local, para que, se realmente houver vítima em situação de urgência e emergência, ela possa ser socorrida em tempo oportuno. A conscientização da população é a melhor forma de prevenir o trote aos serviços públicos e os veículos de comunicação podem ajudar muito nesse sentido.

A administração pública revelou que os trotes também são produzidos por crianças, em tom de brincadeiras, risadas, frases desconexas, choros entre outros, além dos trotes de chamados falsos que são os mais difíceis de identificar.

E, ao perceber que pode se tratar de um trote, a equipe de regulação tenta extrair o máximo de informações do solicitante para ter a certeza de que a ligação é pertinente, evitando assim o deslocamento de uma viatura a um local sem vítima e prejudicando quem realmente necessidade de um atendimento.

Criado para socorrer vítimas que precisam de cuidados médicos antes mesmo da chegada ao hospital e que só podem ser conduzidas por um meio de transporte que tenha oxigênio e equipe preparada para reduzir sequelas e o risco de morte, o Samu 192 deve ser acionado nas ocorrências envolvendo problemas cardiorrespiratórios, maus-tratos, trabalhos de parto com risco de morte da mãe ou do feto, em casos de intoxicação, queimaduras, tentativas de suicídio, crises hipertensivas (pressão alta) e acidentes em geral.