TCE-SP aponta déficit de R$ 700 milhões do município nos primeiros 7 meses deste ano

Antônio Boaventura

[email protected]

Fechar a conta no azul não está sendo tarefa das mais fáceis para a prefeitura. De acordo com informações disponíveis no portal da transparência do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE-SP), a administração pública acumulou ao longo dos primeiros sete meses desse ano um déficit de pouco mais de R$ 700 milhões. Ou seja, gastou mais do que arrecadou.

Neste período, segundo TCE-SP, o governo municipal arrecadou a quantia de R$ 2.207.072.090,84 e gastou R$ 2.907.360.927,34. Apesar da dívida acumulada, a prefeitura revelou através de campanha publicitaria o pagamento de R$ 4 bilhões da dívida aproximada de R$ 7,5 bilhões, de acordo com cálculos realizados pela gestão do prefeito Guti (PSB).

Documentos obtidos pelo HOJE revelam que o prefeito Guti (PSB) assumiu o governo municipal com uma dívida de pouco mais de R$ 4,9 bilhões, incluindo o débito relacionado ao Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae). Em 2018, esse montante foi reduzido para R$ 4,5 bilhões e que atualmente é de R$ 2 bilhões, em função da amortização do valor de R$ 2,2 bilhões devido à Sabesp.

“Eu não consigo aceitar em hipótese alguma uma falácia dessa natureza. É maldosa. Não dá para compactuar com essa fala de que já se pagou R$ 4 bilhões. Isso não é real. Tenho a demonstração de toda dívida, inclusive, o acordo firmado com o Saae. Não dá para aceitar o argumento de que já foi pago R$ 4 bilhões”, disse o vereador Laércio Sandes (DEM).

Em contrapartida, o vereador Eduardo Carneiro (PSB), líder do governo do prefeito Guti na Câmara, destacou que existem algumas maneiras de equacionar uma dívida, porém, admitiu a dificuldade que o Executivo tem para fazer as devidas cobranças daqueles que devem para a municipalidade.

“Não existe [a dívida], se eu entendi bem. O equacionamento da dívida, segundo o vereador Laércio [Sandes (DEM)] é uma grande farsa. Basta fazer conta. Para equacionar uma dívida, você tem várias formas. Não é simplesmente você ir lá e pagar, até por que não tem dinheiro. A prefeitura tem uma grande dificuldade de cobrança”, concluiu.