Paralisação de ônibus municipais e intermunicipais afeta 23 mil passageiros em Guarulhos

Reportagem: Ulisses Carvalho

[email protected]

O Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários no Transporte de Passageiros, Urbano, Suburbano, Metropolitano, Intermunicipal e Cargas Próprias de Guarulhos e Arujá em São Paulo (Sincoverg),realizou mais uma paralisação de parte dos ônibus municipais e intermunicipais de Guarulhos na tarde desta sexta-feira (27), que teve inicio às 12h15, e terminou pouco depois das 16h. Esse movimento afetou 23 mil passageiros, de acordo com a administração municipal.

Em contato telefônico com a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU), a empresa informou que no município só foram linhas intermunicipais que pertencem a empresa Vila Galvão, como a 003, que liga o Cocaia até o Terminal 2 do metrô Tucuruvi, além da 110, que realiza o mesmo trajeto, a 337- que liga o Terminal Taboão até o Terminal Rodoviário do Tietê, a 532, que inicia também no Terminal Taboão e segue até o Terminal 1 do metrô Tucuruvi e a 802, que inicia o trajeto no Taboão, passando pelo Parque Cecap, com ponto final também no Tucuruvi.

O sindicato informou que o protesto ocorreu devido às empresas não estarem de acordo com a convenção coletiva, que seria um erro provocado no espelho de ponto dos funcionários. O HOJE ligou para a empresa Vila Galvão, que também confirmou a paralisação, porém, informou que apenas parte da frota não está circulando, porém, não soube precisar o número de coletivos.

A reportagem questionou a  Secretaria de Transportes e Mobilidade Urbana (STMU), que em nota, informou que o Sincoverg paralisou os serviços da Viação Urbana de Guarulhos por volta das 12h15 desta sexta-feira, e o movimento também atingiu os terminais Vila Galvão e Taboão, além do ponto final do Cocaia.

“A alegação do sindicato da categoria é de que existe um erro no espelho de ponto, que não é a folha de pagamento final e, portanto, cabe revisão. Vale ressaltar que a Prefeitura de Guarulhos, conforme determina a lei, não foi informada com antecedência. A paralisação prejudicou até 15 horas uma estimativa de 23 mil passageiros”, informou em nota a STMU.

A STMU informou em nota também que a paralisação acabou após o Sincoverg e a empresa Viação Urbana chegarem a um acordo, porém, não informou o que ficou definido entre as partes.

Foto: Ivanildo Porto