Guti destaca impulsionamento dos polos nos últimos três anos

Os empresários têm recuperado a confiança de investir em Guarulhos. Essa é a constatação do prefeito Guti (PSB), que destaca o crescimento de diversos polos de desenvolvimento em toda a cidade. Só no ensino superior, por exemplo, são 28 faculdades que oferecem cursos no município.

Em entrevista à imprensa local, Guti destacou que nestes 459 anos de Guarulhos o maior presente que a cidade recebe é o fim do rodízio de água, graças ao acordo com a Sabesp, assinado no ano passado. Para o próximo ele, ele espera entregar algumas obras e avançar no saneamento básico e na redução da fila de consultas médicas nos postos de saúde.

De acordo com o prefeito, a cidade vai se beneficiar no próximo ano da possível melhora econômica. Ele acredita que, nos próximos anos, Guarulhos ganhará um novo polo, que é o turismo de compras. Confira as respostas do prefeito sobre os diversos temas que envolvem o município.

Polos da cidade

Conseguimos fomentar vários nichos que estavam engessados. Na questão do ensino, principalmente faculdades, conseguimos um incremento extraordinário nesses três anos. Veio uma chuva de universidades, graças a Deus, o que capacita os estudantes da cidade, mas também os de fora. Na faculdade de medicina, por exemplo, a maioria é de fora. Além da formação, geramos emprego e renda. Temos polo logístico, farmacêutico. Guarulhos está começando, não é nítido, mas ganhamos o prêmio para virar turismo de compras. Temos grandes shoppings, um outlet, tem outro que virá. Seria inaugurado em dezembro, mas vereadores do PT conseguiram travar o empreendimento que geraria 2 mil empregos. A retomada depende da macroeconomia e da credibilidade do município. Os investidores começam a acreditar na cidade. Confiam que existe segurança jurídica para investir no município. O investidor precisa saber que vai conseguir abrir a empresa sem problemas. A gente apoia novos empreendimentos, lançamos o caderno econômico recentemente e o Via Rápida em 2017.

Fim do rodízio e tratamento de esgoto

Conseguimos êxito no objetivo de acabar com o rodízio. Água é vida. Ter acesso a ele em qualquer horário garante maior qualidade de vida às pessoas, principalmente às mulheres. E vamos chegar a 40% do esgoto tratado no próximo ano. Pegamos a cidade com 2% apenas. Hoje estamos com 14%. Vamos dar um salto para ficarmos nivelados com as demais cidades da região metropolitana de São Paulo. Daí entramos na meta de erradicar o problema da falta de saneamento básico até 2035.

Dívida municipal

Vamos diminuir bem a dívida até o final do governo. Resolvemos mais da metade dela porque fizemos a parceria com a Sabesp. Pagamos R$ 1 bilhão em dívida. Zerar, ainda, não dá. Precisamos de mais anos de políticas austeras para pagar a dívida de Guarulhos.

Próximas obras

Até o final do ano vamos entregar os três CEUs que estavam parados: Bonsucesso, São Rafael e Continental. Colocamos todos para funcionar em janeiro. Vamos inaugurar cinco escolas até o final do ano: Parque Primavera, Parque Santo Antônio, Jardim Maria de Lourdes, Parque Uirapuru e Maria Dirce. Entregamos 70 novos pontos de iluminação no Bananal [na terça-feira]. E vamos entregar até o final de semana pavimentação de uma rua no São Rafael e outra no Pimentas. E duas vielas, na Ponte Grande e na Vila Flórida.

Trevo de Bonsucesso

Não podemos prever o resultado de uma briga judicial. Dependemos dessa decisão para que consigamos ter a posse de uma área. Só falta uma pequena parte do viaduto para concluir. Se a Justiça liberar, conseguimos entregar em 90 dias.

Perspectiva econômica

A retomada vai acontecer. Não temos dúvidas de que o ano de 2020 será muito melhor do que os anteriores. Os cofres municipais vão sentir isso. A gente espera uma mudança no ISS, que depende da sanção presidencial. Esse segundo semestre já começou a ter uma retomada. Em 2020, será muito mais próspero e isso reflete na empregabilidade. Essa é uma das minhas maiores preocupações. Quando a pessoa tem emprego, depende menos do poder público. Gerar renda e público é importante.

Novos projetos de lei

Temos dois projetos de leis na Câmara. A lei da micro e pequena empresa e a nova lei de incentivos fiscais. A gente torce para [a Câmara] aprovar para conseguir fomentar a economia local. O outro projeto de lei que devemos mandar é o Passe Livre para o Estudante. O benefício é para acesso à educação. Vai seguir algumas regras. A pessoa tem que ser estudante e ter vínculo com o Bolsa Família. Não faz sentido o poder público bancar o translado de um estudante que não precise. O custo vai ser subsidiado pela Prefeitura. Serão R$ 7 milhões por ano.

Habitação

O nosso plano é audacioso para a habitação. Projetos de construção seriam complicados pela questão financeira. Neste ano, conseguiremos lançar aproximadamente mil lotes de regularizações fundiária. Guarulhos nunca fez isso. Semana que vem entregamos os primeiros. O benefício vai atingir pontos em toda a cidade.

Palmeiras

O presidente do Palmeiras me procurou há quatro meses para falar do novo CT que vão construir no espaço que eles têm. É uma hospedagem para os próprios atletas. Eles querem modernizar o centro de treinamento, campos e fazer uma arquibancada. Vão investir R$ 6 milhões. Fizemos todas as tratativas para dar rápido encaminhamento para mostrar os caminhos para eles investirem.

Mobilidade urbana

Queremos expandir bastante as ciclovias. Queremos construir vários quilômetros. Estudamos também faixas exclusivas para ônibus. O investimento em novas vias e acessos são caros, não há condições. Temos projetos prontos, mas depende do Governo do Estado. Pedimos ao Estado o acesso ao Rodoanel pelo Haroldo Veloso para ter a menor desapropriação possível. Senti que a liberação da entrada é remoto, mas eles vão fazer um projeto bacana para que os moradores da região se locomovam de forma correta e factível.

Aplicativo da Saúde

É um avanço fantástico. Sofremos muitas críticas por gastar R$ 6 milhões em um ano para um aplicativo. Mas o que nós adquirimos foi um novo sistema de saúde, que começa com um aplicativo. No primeiro passo ele dá economia grande. Nós temos aproximadamente 69 UBSs, que custam mensalmente R$ 20 milhões. Nós sabemos que toda vez que aportamos recurso e as pessoas não são atendidos, ocorre desperdício. O absenteísmo (falta nas consultas) é de 35% na rede. São R$ 7 milhões que não chegam à população. Se todas as pessoas forem atendidas, não é dinheiro fora, estamos investindo. O aplicativo verifica com o paciente 72 horas antes se ele vai comparecer à consulta. Se ele não for, já encaixa outra pessoa. Assim vamos ter poucas vagas ociosas. Além disso, as pessoas vão conseguir apontar se os médicos estão faltando, ou seja, fiscalizar o serviço prestado. No final, queremos ter prontuário eletrônico integrado.