Linha 13-Jade transporta 15,5 mil passageiros por dia

Inaugurada em março de 2018, com quatro anos de atraso, a Linha 13-Jade da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) tornou real o sonho dos guarulhenses de terem acesso à Companhia do Metropolitano (Metrô) por via ferroviária. Não é, evidente, uma linha do Metrô, mas melhor do que ter apenas transporte rodoviário (e aéreo).

A criação da Linha 13 tinha intenção de facilitar o acesso dos turistas que viessem à Copa do Mundo, no Brasil, e m2014. Entretanto, a obra ficou pronta apenas quatro anos depois. Foram construídas duas estações na cidade: Aeroporto (que fica no Taboão) e Parque Cecap. Por falta de acordo, a linha não entrou, de fato, no território aeroportuário.

A concessionária que administra o GRU Airport dialoga com o Governo do Estado para estender a linha até o aeroporto, de fato. A Prefeitura de Guarulhos pleiteia o prolongamento até os bairros de Pimentas e Bonsucesso, mas não há recursos financeiros disponíveis.

De acordo com a CPTM, a Linha 13 apresentou um aumento de 42% no número de passageiros, entre novembro e janeiro deste ano. A principal modalidade atendida pela linha é o serviço Connect, que liga Guarulhos ao Brás, com 10,5 mil passageiros diariamente. Existe também o Airport Express, que vai direto da estação Aeroporto à estação da Luz. A mais comum, porém pouco utilizada, é a que vai até a estação Engenheiro Goulart, na zona leste.

Em nota, a companhia estadual afirmou que há estudos para ampliação de viagens com destino ao Centro de São Paulo.  “A CPTM trabalha com a perspectiva de crescimento gradativo da demanda dos serviços oferecidos pela linha. O aumento de passageiros prosseguirá com a redução dos intervalos e a popularização da linha”, informou.