PT define Elói Pietá como candidato a prefeito de Guarulhos no ano que vem

Antônio Boaventura

[email protected]

Com a presença de Luiz Marinho, presidente estadual do PT, o diretório municipal definiu nesta segunda-feira (9) que o ex-prefeito Elói Pietá será o candidato a prefeito de Guarulhos em 2020. Com a decisão, não haverá mais a prévia entre Pietá e o deputado federal Alencar Santana (PT), que também pleiteava disputar as eleições.

Pietá foi prefeito entre 2001 e 2008, e no último processo eleitoral ficou como terceiro candidato mais votado com 19,32% dos votos válidos, em um momento crítico que atravessa o partido em função das graves denúncias de corrupção dentro da Operação Lava Jato deflagrada pela Polícia Federal. Na ocasião ele teve quase 117 mil votos.

“Dentro do que pode ser uma pré-candidatura começa a se discutir um plano de governo e as chapas de vereadores. Isso faz com que haja uma convicção e as pessoas já vão trabalhando com mais certezas”, declarou o ex-prefeito Elói Pietá.

Antes da definição, a deputada federal Gleisi Hoffman, presidente nacional da sigla, ressaltou em comunicado enviado a executiva municipal que a prioridade neste processo de reconstrução do PT seria daqueles que já tiveram a oportunidade de exercer cargos no Executivo.

Entretanto, dentro de um acordo firmado, Santana será o único candidato a deputado federal do PT no município nas eleições de 2022 e que o mesmo seria o interlocutor oficial de Pietá, em caso de eleição, junto à esfera federal. O representante a vice nesta chapa será escolhido por uma comissão formada pelo deputado federal, Elói Pietá e o presidente do Partido dos Trabalhadores com acompanhamento do diretório estadual.

“Pela unidade do PT e por Guarulhos abrimos mão. O momento exige união. Precisamos derrotar a política autoritária e fascista de Bolsonaro e, também, os retrocessos do governo Guti. O principal é garantirmos força e condições adequadas para trazer de volta à Guarulhos um governo que trabalhe para toda cidade, em especial para quem mais precisa”, observou Santana.