Exposição no Adamastor celebra a memória de Luiz Gonzaga, o Rei do Baião

Para celebrar a memória de um dos maiores compositores da música brasileira, a Prefeitura de Guarulhos apresenta Luiz Gonzaga, Na Eternidade dos 30!, exposição que acontece até o dia 1º de março, diariamente das 9h às 22h, no Adamastor Centro. A entrada é gratuita e a classificação, livre.

Sob curadoria de Sylvia Jardim e cenografia de Celso Rorato, a mostra relembra três décadas da partida de Luiz Gonzaga, o Rei do Baião, e setenta anos da gravação do primeiro forró, o Forró de Mané Vitor, de autoria de Gonzaga e Zé Dantas. O cantor e compositor faleceu em 1989, aos 76 anos de idade.

Literatura de cordel, partituras, discos, dentre os quais raridades, letras inéditas, documentos, livros, revistas e fotos do acervo do Instituto Memória Brasil compõem a exposição, que foi dividida em sete estações e duas seções para aproximar o público do legado artístico e cultural do músico, oferecendo a exata dimensão de sua importância como patrimônio imaterial da cultura brasileira.

Em meio a esse vasto universo de curiosidades e descobertas, o visitante do Salão Expositivo do Adamastor também vai conhecer jingles comerciais e políticos compostos pelo artista. Um dos grandes legados do cantor é a música Asa Branca realizada em parceria com Humberto Teixeira, e gravada por Gonzaga no dia 3 de março de 1947.

A música retrata o sofrimento do povo que vive na parte do sertão nordestino, diante da seca que assola a região. O cantor nasceu na Fazenda Caiçara, em Exu, no sertão de Pernambuco, e desde criança já gostava de ver o pai tocando sanfona, já que Gonzaga foi comprar a sua primeira aos 12 anos.

Após lutar durante seis anos contra um câncer de próstata, no dia 21 de junho de 1989, Gonzaga é internado em um hospital na cidade de Recife, porém, no dia 2 de agosto do mesmo ano, o cantor sofre uma parada cardíaca e morre aos 76 anos. Um dos grandes feitos da carreira do músico também foi que em 1980, Gonzaga cantou para o Papa João Paulo II, em Fortaleza. 

Sobre o artista

Cantor, compositor, sanfoneiro, forrozeiro. Não foi à toa que Luiz Gonzaga (1912-1989) recebeu o título de Rei do Baião. Responsável por valorizar os ritmos nordestinos, o pernambucano de Exu levou o baião, o xote e o xaxado para os quatro cantos do país. Apaixonado desde criança pela sanfona do pai, não demorou muito para que o menino comprasse uma sanfona e aprendesse a tocar, tirando do instrumento seu sustento e forma de vida.

Para saber mais sobre a programação de eventos culturais da cidade acesse: https://www.guarulhos.sp.gov.br/agendacultural.

Serviço:

Exposição Luiz Gonzaga, Na Eternidade dos 30!

Data: até 1º de março, diariamente das 9h às 22h, exceto feriados

Local: Salão Expositivo do Adamastor Centro. Avenida Monteiro Lobato, 734, Macedo

Entrada gratuita

Classificação livre