Governo de SP anuncia nova fase do Corujão da Saúde com foco em Oftalmologia

Foto: Milton Michida/Governo do Estado de SP

O Governador João Doria anunciou nesta quarta-feira (20) uma nova fase do Corujão da Saúde, com foco em Oftalmologia. Serão oferecidos à população cerca de 51 mil procedimentos entre consultas, exames e cirurgias, em um investimento de R$ 14 milhões do Governo de SP. O início do programa está previsto já para essa quinta-feira (21) em todo estado.

“São Paulo inicia uma nova etapa do Corujão da Saúde, o vitorioso e inovador programa de saúde pública do Governo do Estado, programando 51 mil procedimentos oftalmológicos”, destacou Doria. “O Corujão da Saúde foi retomado no mês de outubro e o Governo de SP vai prosseguir com o Corujão todos os meses no atendimento à população, principalmente a população mais vulnerável”, completou.

A medida visa zerar a demanda reprimida de procedimentos oftalmológicos dos Ambulatórios Médicos de Especialidades (AMEs) que foram cadastrados pelos municípios na Cross (Central de Regulação e Oferta de Serviços de Saúde) até o último dia 20 de setembro. Serão ofertados 23.112 exames de dez tipos diferentes, 16.077 cirurgias de catarata e retina e 11.794 consultas médicas.

Os procedimentos serão realizados em 46 AMEs de todas as regiões do estado e em 10 hospitais da rede da Secretaria de Estado da Saúde. Estes serviços irão oferecer agendas extras em horários alternativos para zerar a demanda reprimida.

A expansão é possível graças à queda dos atendimentos por Covid-19 e ao avanço da vacinação em SP. “O objetivo do Governo de SP é zerar a fila de oftalmologia dos AMEs até dezembro deste ano. É um investimento importante em Saúde, priorizando atendimentos especializados e beneficiando todas as regiões”, destacou o Secretário de Estado da Saúde, Jean Gorinchteyn.

Corujão da Saúde

No último mês, o Governo de SP anunciou a retomada do Corujão, com foco em Oncologia. O objetivo é agilizar o diagnóstico e tratamento de pacientes com câncer e realizar 335 mil exames, além de 19 mil sessões de radioterapia.

Os atendimentos começaram no dia 1º de outubro e já foram realizados 16 mil exames e cerca de 750 sessões radioterápicas. O chamamento público teve participação de 92 serviços da rede privada entre eles Instituto Israelita Albert Einstein, Sírio Libanês, Beneficência Portuguesa, Hospital Santa Catarina, HCor, entre outros.