Perito que analisou áudios contra Zeitune garante em parecer que ‘não houve edição’

Perito que analisou áudios contra Zeitune garante em parecer que ‘não houve edição’

O laudo do Instituto Forense de Tecnologia23, assinado pelo perito Osvaldo Negrini Neto, contratado pela Câmara Municipal de Guarulhos para realizar a perícia nos áudios que motivaram a abertura de uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) para investigar o vice-prefeito Alexandre Zeitune (Rede), constatou que as falas atribuídas a Zeitune nos fragmentos contidos em um pen drive “foram, efetivamente, produzidas por ele” e que não houve edição no material.

“Diante das análises minuciosas constantes do presente estudo é possível afirmar que as falas atribuídas a Alexandre Turri Zeitune, foram, efetivamente, produzidas por ele. Com relação aos demais interlocutores não foi possível fazer o estudo das vozes por ausência de material de confronto”, diz trecho do documento assinado por Negrini no mês passado.

Garante ainda que “não houve edição nos fragmentos dos arquivos ‘mp3.’ e ‘mp4’, que gerasse a quebra de continuidade, supressão, inserção, adulteração ou qualquer outra fraude que tenha mudado o conteúdo e/ou contexto dos diálogos travados por Alexandre Turri Zeitune, Operador, Empresário e HNi”.

Na conclusão, o perito criminal e forense foi enfático: “Após profundo estudo nos arquivos apresentados para análise, é possível afirmar com 100% de certeza que os trechos dos diálogos gravados gozam de total credibilidade nos aspecto técnico pericial (o grifo é do próprio laudo), pois, não foram manipulados e/ou alterados por qualquer meio”.

Uma cópia do laudo foi entregue na manhã desta terça-feira (3), durante reunião da CEI somente ao advogado Leonardo Freire, que foi apresentado, na ocasião, como defensor do vice-prefeito, acusado de suposta extorsão. No início da noite, o laudo vazou para a imprensa.

Ainda durante a reunião da CEI, o empresário Marco Antônio Ferreira, apontado como suposto “operador” do caso Zeitune, não compareceu para prestar esclarecimentos.

O presidente da comissão, vereador Marcelo Seminaldo (PT), responsável pelas denúncias contra Zeitune no plenário da Câmara, informou que “houve a notificação e ele é obrigado a comparecer [à comissão]. A maioria dos vereadores entendeu que era melhor prorrogar a oitiva dele para dar tempo à defesa”, explicou o petista.

 

Deixe seu Comentário