São Paulo terá rodízio de placas pares e ímpares 24 horas e nos fins de semana

Foto: Anderson Lira/AE

Na tentativa de aumentar a taxa de isolamento social e restringir a circulação de pessoas em São Paulo, o prefeito Bruno Covas (PSDB) anunciou ontem um novo esquema de rodízio de veículos na cidade. A medida começa a vigorar na segunda-feira e vai valer para toda a capital, e não mais no centro expandido, o dia todo, incluindo fins de semana. Nos dias pares, circulam placas de final par (0,2,4,6 e 8). E nos dias ímpares, as placas de final ímpar (1,3,5,7 e 9).

“Questões extremas exigem medidas extremas, com isso anuncio o retorno do rodízio de forma ainda mais restritiva. Não dá pra deixar de tomar medidas como essa, com taxas de ocupação de leitos de UTI com mais de 90% na rede municipal”, disse Covas.

Com o rodízio mais amplo, haverá reforço na frota de ônibus na cidade, com mais mil veículos e outros 600 de reserva, caso sejam necessários. “Essa é uma medida necessária para evitar o lockdown (bloqueio total) na cidade de São Paulo”, disse o prefeito. “A liberação do rodízio estava servindo como estimulante para as pessoas saírem de casa. Há pessoas que ainda não entenderam a importância de ficar em casa e voltamos com o rodízio para tentar ter um isolamento de pelo menos 60% na cidade”, afirmou o prefeito. “Além de restringir a circulação, vamos ter um ganho ambiental e de saúde, com redução de poluição, o que afeta também doenças respiratórias.”

Permanecem excluídos do rodízio carros da polícia, do Exército, prestadores de serviço de rede elétrica e de gás, e também veículos da área da saúde. Os profissionais de saúde devem fazer um cadastro na Prefeitura para ficarem fora da medida de restrição de circulação.

O cadastro terá de ser feito em até dez dias, por meio de envio de dados como CPF, nome, estabelecimento em que trabalha o profissional e a placa do veículo. As multas que forem aplicadas nos próximos dez dias a esses profissionais serão descartadas posteriormente. Os profissionais devem enviar e-mail para o endereço eletrônico: [email protected]

“A obrigatoriedade de cumprir com o rodízio continua para os demais que não essas categorias”, afirmou o secretário municipal de Mobilidade e Transportes, Edson Caram. Os veículos de pessoas com deficiência, condutoras ou não-condutoras, que já têm autorização da Prefeitura e estão isentos do rodízio de carros na cidade de São Paulo, continuam liberados para circulação em qualquer dia.

O prefeito Bruno Covas também anunciou o retorno da restrição à circulação de caminhões em São Paulo, exceto os das áreas de abastecimento e saúde.

Segundo o secretário de Saúde, Edson Aparecido, a capital tem 93 312 casos suspeitos e outros 23.807 casos confirmados de covid. Sobre os óbitos, são 4.300 entre suspeitos e confirmados (1.9218 confirmados + 2.372 suspeitos).