Após pagar promessa de joelhos, guarulhense herói da vitória gremista pede que torcida fique em casa

As luzes do estádio Beira-Rio já estavam apagadas e os jogadores, dentro dos vestiários, na noite de domingo (16), quando o centroavante gremista de Guarulhos, Ricardinho, contornou o gramado em uma volta olímpica de joelhos, para pagar a promessa feita no velório do pai, morto em decorrência da covid-19 no último dia 30 de março.

Reserva do Grêmio, o centroavante entrou em campo aos 34 minutos do segundo tempo, no lugar de Diego Souza, e marcou um gol de cabeça que garantiu a vitória do time tricolor em cima do Internacional, na primeira partida da final do Campeonato Gaúcho.

O placar de 2 a 1, de virada, deixou o Grêmio a um empate do tetracampeonato, na decisão em casa no próximo domingo (23).

No velório do pai, Ricardo Viana, 50, policial do Batalhão de Choque da Polícia Militar de São Paulo, de quem leva o nome, Ricardinho prometeu que atravessaria de joelhos o campo onde tivesse chance de marcar o primeiro gol a partir dali.

Nem a mãe sabia da promessa, segundo ele. “Era uma coisa minha e dele”, contou o atleta. “O futebol para mim é como se fosse um remédio. Quando estou fora de campo, ainda é muito difícil estar com a minha família, sem meu pai e sem meu avô. Mas, quando entro em campo, esqueço tudo, sou feliz”, afirmou ele. “Tive palavras de apoio do [Pedro] Geromel e do Maicon, capitães do elenco.”