Conheça os principais tipos de tumores ósseos

Foto: Tima Miroshnichenko

De acordo com o American Cancer Society, os tumores ósseos representam menos de 1% de todos os cânceres. Embora raro, ele pode ser agressivo. Ficar atento a sinais diferentes do corpo – como dor nos ossos, inchaço nas articulações e facilidade para fraturas – é fundamental para chegar ao diagnóstico precoce e aumentar o sucesso do tratamento.

A doutora Angela Soares, médica radiologista da Fundação Instituto de Pesquisa e Estudo de Diagnóstico por Imagem (FIDI), lista os principais tipos de tumores que afetam os ossos.

Osteossarcoma

O osteossarcoma é o tipo mais frequente de tumor ósseo primário em geral, e, por se iniciar nas células ósseas, acomete principalmente pessoas com idades entre 10 anos e 30 anos, sendo a maior incidência em homens.

Esses tumores se desenvolvem com mais frequência em ossos dos braços, pernas e pelve. Sendo a queixa mais comum entre os pacientes com osteossarcoma a dor, podendo estar ou não associada a massas de partes moles como o joelho, uma das principais regiões de incômodo. Ao decorrer do tempo, a doença tende a progredir de forma a interromper as atividades diárias.

Condrossarcoma

Mais frequente em adultos e idosos, o condrossarcoma é o tumor maligno primário do osso, originado de células cartilaginosas. Com evolução extremamente lenta, esse tumor afeta os ossos das cinturas pélvica e escapular e os ossos longos, particularmente fêmur e úmero. Os sintomas incluem dor e aumento do volume local.

Como a maioria dos tumores apresentam desenvolvimento lento, existe uma menor chance de metástase quando diagnosticado rapidamente. Raramente acomete pessoas com idade inferior a 20 anos.

Tumores de Ewing

Considerado um dos cânceres mais frequentes em crianças, adolescentes e adultos jovens, os tumores de Ewing são encontrados com regularidade na pelve, parede torácica, ossos das pernas e dos braços. Pessoas do sexo masculino são mais propensas a desenvolver a doença, que raramente acomete indivíduos com mais de 30 anos.

Manter um estilo de vida saudável e acompanhamento médico para diagnóstico precoce são os primeiros passos para combater o câncer ósseo. “Quando há suspeita de alguma doença nos ossos, o médico recorrerá a exames de imagens que ajudarão a identificá-la e a definir o melhor tratamento”, explica Dra. Angela Soares. As opções terapêuticas podem assumir diferentes abordagens, utilizando quimioterapia e radioterapia. Em alguns casos, há necessidade de cirurgia para a retirada do tumor.

- PUBLICIDADE -