Bienal do Livro tem recorde de inscrições de autores independentes de Guarulhos

Foto: Eduardo Calabria/PMG

A 2ª Bienal do Livro de Guarulhos registrou o credenciamento de 95 autores independentes da cidade, dentre escritores e cartunistas interessados em divulgar, expor e vender suas obras durante o evento, que acontece entre os dias 5 e 14 de agosto no Internacional Eventos. Esse número representa um aumento de 216% na comparação com 2018, data da primeira edição da bienal, quando 30 autores independentes participaram. Na última segunda-feira (25) foi celebrado o Dia Nacional do Escritor e o alto índice de inscritos aponta para ações de fomento ao livro e à leitura com grande impacto na vida dos munícipes.

Em 2022, chama a atenção o credenciamento de autores de diferentes gerações, como Diógenes Torres de Oliveira, que acaba de completar 13 anos e lançou o livro Contos, e Manoel Messias Alves, de 86 anos, autor de Chonta, o Pecado.

Em meio aos mais experientes, há escritores com reconhecida trajetória literária em Guarulhos, como Guilhermina Helfstein, que em outubro do ano passado publicou o livro infantil Circo Amazonas, obra que aborda maus-tratos a animais. Entre os estreantes está o guarulhense Tiago Harris, que é formado em comércio exterior e relações internacionais, atua como influenciador digital, blogueiro e é autor do livro Temos Nosso Próprio Tempo. Nas artes gráficas, o cartunista Fausto Bergocce traz para a 2ª Bienal do Livro sua mais recente obra, O Cartunista e a Poetisa, com 29 poemas de Diléné Barretos e ilustrações de sua autoria.

Fomento ao livro e à literatura

O aumento de 216% no número de escritores independentes inscritos na bienal pode ser explicado por inúmeras ações assertivas adotadas pela Prefeitura. Dentre elas está o Prêmio João Ranali de Literatura, que tem por objetivo promover e divulgar a produção poética de autores residentes em Guarulhos, de contos e crônicas em sua manifestação escrita.

Outro exemplo são as políticas públicas para fomento à leitura nos espaços públicos, o que fez com que Guarulhos alcançasse, no mês de março, a marca de 15 mil pessoas que frequentaram as bibliotecas da Secretaria de Educação, os Centros Municipais de Incentivo à Leitura (CMILs), os Centros de Incentivo à Leitura (CILs) e as Salas de Leitura. Ao todo são 26 locais que oferecem diversas atividades gratuitas, abertas à comunidade, com o objetivo de disseminar e promover o hábito da leitura.

Um fator importante também foi a destinação de recursos da Lei Aldir Blanc em 2020 e 2021 para auxílio emergencial à classe artística, fortemente prejudicada pela pandemia de covid-19. Por meio do Fundo Municipal de Cultura de Guarulhos, o FunCultura, foram destinados recursos da Lei Aldir Blanc para a publicação de obras como Guarulhos – Olhares sobre o Trabalho e Cotidiano, de Ivan Canoletto e Tiago Guerra, Sou Fogo, de Alex Araújo, Rebelião Maromomi, de Thiago Loreto e diversos autores, Fé, Festas e Viola e Fé, Festas e Culinária, de Diego Dionísio, Entre Linhas e Formas da Natureza, livro de artistas plásticos do coletivo Ateliê Conexões, Mulheres Que Conheci, de Rosa Mascarenhas, entre outras.

A 2ª Bienal do Livro de Guarulhos é gratuita e acontece entre os dias 5 e 14 de agosto, de segunda a sábado, das 10h às 22h, aos domingos, das 10h às 20h, no Internacional Eventos, na avenida João Cavalari, 133, Vila Hermínia.

Para mais informações sobre o evento acesse http://bienaldolivro.guarulhos.sp.gov.br e acompanhe o perfil @bienaldolivrogru no Instagram.

- PUBLICIDADE -