Guarulhos solicita ao governo federal teste e comprovante de vacina no aeroporto contra a ômicron

Foto: Divulgação/PMG

O prefeito de Guarulhos, Guti, solicitou via ofício nesta terça-feira (7) ao ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, um endurecimento nas medidas de controle para a entrada no país pelo aeroporto Internacional, em Cumbica. O documento pede que todos os passageiros aéreos que desembarcaram na cidade apresentem o comprovante de imunização contra a covid-19, teste de no máximo um dia contra a doença e que casos em que seja necessária quarentena sejam observados.

O ofício toma por base a portaria 660, de 27 de novembro deste ano, por meio da qual o governo federal autoriza a entrada no Brasil, por via aérea, de viajante de procedência internacional, brasileiro ou estrangeiro, desde que este apresente, antes do embarque no país de origem, documento comprobatório de realização de teste para a detecção da covid-19 com resultado negativo ou não detectável realizado em até 24 horas pré-embarque. O pedido inclui voos de conexão.

Entre as justificativas da administração municipal no pedido está o fato de que Guarulhos abriga o maior aeroporto da América Latina, que recebe 600 voos diários e movimenta 2,5 milhões de passageiros por mês. Além disso, o ofício cita o surgimento da variante ômicron, já detectada em diversos países de todos os continentes, principalmente no africano, e o fato de que empresas aéreas em Guarulhos operam três voos semanais para a Etiópia e dois para Angola.

O documento enviado ao governo federal cita ainda a incerteza em relação à transmissibilidade da ômicron, à eficácia da vacina contra essa variante e ao risco de reinfecções. “O Centro Europeu para Prevenção e Controle de Doenças e a OMS (Organização Mundial da Saúde), baseados em experiências com variantes anteriores, preconizaram proatividade dos países e a implementação de medidas de precaução para retardar a entrada da nova variante nos países até a aquisição de maior conhecimento científico”, explicou Guti.

O ofício da Prefeitura foi enviado também aos ministérios da Casa Civil, da Saúde, da Defesa e da Justiça e Segurança Pública.